ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

Trabalhamos para formar cidadãos responsáveis, capazes de entender e exercer seu papel na sociedade.

Mobirise

Nosso serviço de acolhimento institucional para crianças e adolescentes, o Minha Casa, atua na proteção e garantia de direitos das crianças e adolescentes acolhidos. Para isso contamos com equipes técnicas compostas por coordenador, psicólogo, assistente social, pedagogo e orientadores sócio-educacionais que trabalham para garantir um destes três cenários:

Família 

Retorno do acolhido para família de origem através do trabalho de
fortalecimento de vínculos familiares.

Família Substituta

Inserção do acolhido em família substituta quando não há possibilidade de retorno para família de origem.

Preparo para a vida

Preparação dos adolescentes para inserção no mercado de trabalho formal antes de completar a maioridade.

Screenshot_2

Dúvidas frequentes

Abrigos - Minha Casa 1 e 2 

Sim. Temos aproximadamente 30 crianças e adolescentes que moram nos serviços Minha Casa 1 e Minha Casa 2, mantidos pelo MAESP através de convênios com a prefeitura de São Paulo.

O acolhimento acontece quando algum direito da criança ou do adolescente foi violado ou quando a família está impossibilitada de oferecer cuidado e proteção. Sempre que possível nossa equipe trabalha com as famílias de origem das crianças e adolescentes visando o retorno do acolhido para sua família. E sempre pautado pela legislação do Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA.

Não. Fazemos apenas a aproximação das crianças e adolescentes com pretendentes a família substituta devidamente encaminhados pelo Fórum.
Portanto, para começar, os pretendentes à adoção devem se dirigir ao Fórum de sua cidade ou região munidos de Carteira de Identidade (RG) e comprovante de residência. Lá, o pretendente receberá as informações iniciais a respeito dos documentos necessários para dar andamento ao processo. Após análise e aprovação dos documentos, serão realizadas entrevistas com a equipe técnica composta por profissionais das áreas de Psicologia e Serviço Social das Varas da Infância e da Juventude.

Não. Fazemos apenas a aproximação das crianças e adolescentes com padrinhos afetivos devidamente encaminhados pelo Fórum. Nossa equipe também faz toda orientação necessária antes e durante o apadrinhamento.
Para começar, procure o Fórum de sua região para maiores informações.

Não. Nossas crianças e adolescentes estão inseridos em um trabalho de proteção e garantia de direitos e é nosso dever garantir que não sejam expostos a curiosidades e comparações.

Por ser um serviço de proteção e garantia de direitos, nem todas as atividades voluntárias são permitidas. Por isso, o voluntário deve ter uma atividade com propósito pré-definido para apresentar e solicitar uma conversa com nossa equipe técnica para verificar sua viabilidade.
Caso não seja possível a realização da atividade em nossos serviços de acolhimento, poderemos indicar um projeto apoiado pelo MAESP em uma comunidade.

Não. Nossa equipe é composta por Assistentes Sociais, Psicólogos, Pedagogos e Orientadores Sócio-Educacionais devidamente treinados para todos os cuidados necessários com as crianças e adolescente.
Entretanto, se você tem alguma atividade pontual e/ou com um objetivo pedagógico ou similar, entre em contato e verifique com nossa equipe técnica a viabilidade de sua proposta.

Nossas crianças e adolescentes estão inseridos em um trabalho de proteção e garantia de direitos e é nosso dever garantir que não sejam expostos a identificação que os relacione ao abrigo e os exponham a situações vexatórias.

Não. Nossas crianças e adolescentes estão inseridos em um trabalho de proteção e garantia de direitos e todo contato com pessoas externas somente é possível através de autorização judicial criteriosamente solicitada por nossa equipe técnica.

Atividades com propósito pedagógico e/ou com objetivos pré-definidos.

© 2020 MAESP. Todos direitos reservados.
Agência MM3 Comunicação Social